PARTICIPE DE UM DESTES CURSOS - FAÇA JA SUA INSCRIÇÃO

quinta-feira, 5 de maio de 2011

MEDALHA PARA GERONIMO- SEM RESPEITAR NORMAS DO DECRETO GOVERNAMENTAL.

MEDALHA PARA O ASSESSOR JOSÉ GENOINO

Nelson Jobim, ministro da Defesa, errou ao conceder ao seu assessor José Genoíno, a Medalha da Vitória. Em primeiro lugar, porque essa concessão foi feita sem respeitar as normas do decreto governamental que a estabeleceu. Em segundo, por homenagear um dos astros do Mensalão do PT. O ex-deputado Genoíno é réu de processo da Procuradoria Geral da República pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha. O processo, aceito em fins de fevereiro pelo Supremo Tribunal Federal, está em fase de julgamento.

O decreto governamental que instituiu a Medalha da Vitória diz, em seu artigo primeiro,”fica criada a Medalha da Vitória, em reconhecimento à atuação do Brasil em defesa da liberdade e da paz mundial e em especial na II Guerra Mundial.
O segundo artigo estabelece que a Medalha da Vitória poderá ser conferida aos militares das Forças Armadas, aos civis nacionais, aos militares e civis estrangeiros, aos policiais e bombeiros militares, às organizações militares e instituições nacionais que tenham contribuído para a difusão dos feitos da Força Expedicionária Brasileira durante a II Guerra Mundial, participado de conflitos internacionais na defesa dos interesses do país, integrado missões de paz, prestado serviços relevantes ou apoiado o Ministério da Defesa no cumprimento de suas missões constitucionais”.
Há uma operação orquestrada em Brasília para encaixar os 38 réus do processo do Mensalão em cargos de relevo da nossa República. É uma das maneiras que estão sendo usadas para praticamente canonizar esses réus, ora julgados por gestão fraudulenta, peculato, evasão de divisas, formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro.


Com o poder avassalador do PT, estão procurando banalizar essas acusações, ao colocar os acusados nos altos escalões governamentais. A concessão da Medalha da Vitória é apenas mais uma dessas etapas. Como cidadão brasileiro, entristeço-me ao ver uma das medalhas da República sendo usada nesse jogo sujo. Vieram-me à mente os versos do poeta Castro Alves, ao anatemizar o uso da bandeira brasileira para acobertar o tráfico negreiro: “preferia ver-te rota na batalha que servires a um povo de mortalha”.


Nesse lamentável episódio da Medalha da Vitória, houve um achincalhamento desse nobre galardão nacional. Ela também está servindo de mortalha. Mortalha moral.